Escolha uma Página

Pilotos e amigos,

Muito foi falado, durante todo o campeonato Abarth 500, sobre disputas mais acirradas, e também sobre variação de classes de pilotos. (Master e Light). Para não desanimar a turma de pilotos, e deixar sempre o mesmo ambiente agradável e familiar de sempre, foi proposto o seguinte desafio:

Nascar GTBR – A Corrida do Leite

A administração tentou ao máximo permitir com que a corrida não tenha nenhum favorito.

Seguindo este principio, e também saudando a super tradicional prova de Indianapolis. Foi adotado circuito ´´Oval´´ (mais parece um retângulo), para que todos os pilotos pudessem acelerar sem medo da largada ate a linha de chegada.

Após alguns testes com o pessoal da Comunidade, ficou definido que a potência máxima liberada pelos carros da Categoria Nascar, era excessiva, para a pista sendo necessário dosar o acelerador ou ate mesmo frear, para que 4 curvas pudessem ser contornadas sem maiores riscos, de acidente.

Sendo assim foi baixada a potência, ate um patamar onde durante os testes, estivéssemos porta a porta durante todo o treino.

As condições foram definidas como:

Configuração do Carro Homologado: A configuração do carro homologado para este campeonato deverá atender os requisitos descritos abaixo:

– Ser da categoria Nascar

– PP´s: Máximo de 596 PP´s.

– Potência: Potência Máxima de 680 HP ou 689 CV.

– Peso: Peso Mínimo de 1565Kg.

– Pneus livres e ajustes livres.

– 44 voltas.

– Largada em 2 fileiras em rolamento.

– Sem nenhum tipo de auxilio, como ABS ou TCS como de costume padrão GTBR.

Vale lembrar que foi deixada livre a escolha dos pneus, para que cada um fizesse a sua estratégia, item fundamental em uma corrida como esta.

Podemos dizer que quem não se preparou para o desgaste dos pneus foi ficando cada vez mais longe do vidro de leite.

Para garantir que a corrida não tivesse nenhum favorito a vencedor, foi adotado o grid de largada, invertido em relação a pontuação atual do campeonato Abarth 500. Ou seja, o ultimo do campeonato (participante) largaria em primeiro na fila. E o primeiro do campeonato, largaria em ultimo.

Sendo assim, o grid de largada foi definido sem uso da qualificação.

  • GuiRadaell
  • Nei Castro
  • Crhislei Vieira
  • Jhony Supra
  • Julio Till
  • Everson
  • Lombardi

Sentimos falta da participação em peso da galera do GTBR, grandes nomes da nossa família, ficaram de fora da competição o que colocaria uma pitada a mais de tempero na briga pelo vidro de leite. Esperamos que nos próximos eventos OFF campeonato, tenhamos a participação em massa dos pilotos. (Lembrando que destes eventos podem surgir novos campeonatos)

Logo na largada, a nossa tão querida PSN, começou a dar indícios de falha, como alguns Bug, e alguns Lags para alguns pilotos, mas a corrida se deu por iniciada. Respeitando o horário previsto.

Logo nas primeiras curvas, Crhislei sofreu um pequeno acidente, e teve que vir recuperando o prejuízo.

Julio Till, Jhony Supra e Nei, começaram uma batalha pelas primeiras posições, logo nas primeiras voltas, seguidos de perto por Everson e Lombardi.

Após alguns erros de Jhony Supra e Nei, Lombardi toma a ponta seguido por Everson por algumas voltas.

Como é de se esperar numa corrida oval, varias trocas de posições em todos os patamares da corrida tanto nos ponteiros, quanto nas posições mais atrás da corrida seguem frenéticas.

Próximo da volta 18, (quase metade da prova) Everson comete um pequeno erro e toca o carro no muro de Indianapolis, danificando assim seu conjunto de direção. Entrando no Pit logo a seguir para reparar o carro e trocar os pneus.

Julio Till passa Everson no pit, e segue em seguindo atrás de Lombardi.

Na saída de Everson do pit, encontra Lombardi novamente na pista, e por alguns segundos de Lag, Lombardi erra e também bate no muro. (O mesmo do Everson).

Crhisley nesta troca de Pit, chegou a liderar a prova, mesmo tendo errado nas primeiras curvas e ficado em ultima posição.

Para não estragar sua estratégia de pit Lane Lombardi decide correr com os 2 lados do carro quebrado por 4 voltas, para garantir apenas uma parada.

Julio Till se aproxima ainda mais de Lombardi, ate que na volta 22 entram exatamente juntos no pit.

Seguiram juntos ate praticamente a volta 33, quando Julio Till por um descuido de gasolina (não abasteceu completamente na parada) precisa parar uma segunda vez, para abastecer, e é ultrapassado por Everson.

Sendo assim, a corrida termina da seguinte maneira.

  • Lombardi
  • Everson
  • Julio Till
  • Jhony Supra
  • Nei Castro
  • Gui Radaell
  • Crhislei Vieira

Agradecemos a presença e participação de todos, esperamos que possam comparecer em peso, nos próximos eventos.

Nós da Administração do GTBR estamos sempre em busca de obter os melhores campeonatos, possíveis e com um certo nível de igualdade entre os pilotos. Sendo assim fique ligado pois quem sabe novas regras virão por ai, ou novos campeonatos de setup travado, para deixar a briga ainda mais insana.

Quer correr com a gente e não sabe como?

Acesse www.gtbr.com.br o maior portal de Gran Turismo do Brasil.

responseveIframe(); function responseveIframe() { $('iframe').height( $('iframe').attr("height") / $('iframe').attr("width") * $('iframe').width() ); } /*this functions is only needed to see the resize as you drag display border*/ $(window).resize(function() { responseveIframe(); });